sábado, 30 de julho de 2011

Lara Mãe

Lembranças físicas (desagradáveis) da Gravidez

O bebê sai da nossa barriga, mas a gravidez deixa alguns presentinhos desagradáveis no nosso corpo. Alguns deles são minimizados ou resolvidos com o tempo, e outros irão para a sepultura (ou o forno) com a nossa pessoa.

1) Linha Nigra

Juro, nunca pensei que fosse acontecer comigo, porque é mais comum em morenos e negros. E eu sou bem branquinha. Mas a tal da linha apareceu e agora estou parecendo um campo de futebol, com essa linha horrorosa dividindo minha barriga ao meio.
Essa linha acontece pela deposição de melanina, que ocorre não só na barriga, mas no rosto (gerando o melasma), nos mamilos, e algumas vezes na região genital e axilas.

Não necessita de tratamento, pois teoricamente ela some espontaneamente entre seis meses e DOIS anos após a gravidez. E sim, existem pessoas que nunca conseguem clarea-la completamente.
Assim que o meu leite acabar eu vou passar despigmentante na minha, quero ver se consigo acelerar esse processo de clareamento.

Evitem de tomar sol na barriga durante a gravidez, pois o sol pode piorar a mancha.



2) Estrias

Eu me cuidei. Lembram quando eu disse que a prevenção das estrias com óleos era controverso, que alguns estudos dizem que não faz diferença e outros defendem o uso?
Bom. Na barriga e nos quadris, eu usei e abusei de hidratantes e óleo de amêndoas. Mas nos seios, eu não usei nada, porque meu obstetra disse que poderia cair acidentalmente nos bicos e deixar a pele muito sensível para a amamentação.
Resultado: ontem fui me olhar no espelho e lá estavam algumas estrias vermelhas. Bem nos seios. Onde-eu-não-usei-nada.

A sorte é que estrias vermelhas costumam ter chances de melhora, especialmente quando usamos ácido retinóico e óleo de rosa mosqueta (sempre prescritos pelo médico, pois existem concentrações diferentes de acordo com o local da estria).
O azar é que NÃO PODEMOS USAR ÁCIDO RETINÓICO durante amamentação. E se ela durar muitos meses, a estria vermelha pode se tornar branca. E estria branca dificilmente melhora significativamente.

obs. Nem em sonho estou sugerindo que vocês interrompam a amamentação para tratar estrias. Mamar é muito mais importante. Mas nada impede que vocês rezem para que a estria não fique branca.

3) Cicatriz da Cesariana

Dos males, o menor. Hoje em dia, a maioria dos médicos costuma caprichar nos pontos da cirurgia, de modo que só sobra uma linha reta, discreta, e bem menor do que as das nossas mães. Eles também tentam fazer o corte bem na linha do biquine, o que o torna invisível quando se vai na praia.
Mas ninguém está livre de ter um quelóide, ou de cicatrizar mal, ou de haver uma infecção dos pontos, que poderia deixar essa cicatriz ainda mais feia.
Por isso, eu recomendo que você realize uma higiene rigorosa quando receber alta. Procure fazer os curativos direitinho, conforme as orientações do seu médico.
Se os pontos inflamarem ou soltarem alguma secreção ou odor desagradável, informe a seu médico.
Algumas pessoas usam silicone na cicatriz, depois que tiram os pontos. Esse silicone pode ser usado em placa, em gel ou spray. Existem diversas marcas no mercado, não são baratos e precisam ser prescritos pelo seu médico, pois existem diversas situações em que eles não devem ser usados.
4) Queda de Cabelos

É desesperador.
Quem quiser tirar uma mulher do sério, basta dar um jeito de fazer o cabelo dela cair.
E, minhas amigas (e amigos), uns três meses após o parto, os benditos caem.
A catástrofe ainda não começou para mim, mas o Gabriel ainda está com sete semanas. O meu dia vai chegar. Eu sei.
O cabelo cai muito, a pessoa pensa que vai ficar careca. Mas passa, pode acreditar em mim. Bom, na maioria das vezes, passa, mas demora um pouco.

Porque isso acontece? Calma, a natureza não está se vingando de você. Durante a gravidez, muitos fios de cabelo entram na fase que chamamos de anágena, de crescimento. Nessa época, o cabelo fica cheio, maravilhoso.
Como vocês sabem, os cabelos passam por ciclos de crescimento, repouso e -lástima!- de queda. Bom, quando aquela cabeleira toda que estava na fase de crescimento, entra na fase de queda, o caos se instala no couro cabeludo da pessoa.

Tem gente que fica um pouco calva mesmo.
É lógico que a tendência é melhorar, quando você voltar novamente para a fase anágena. Só que isso pode levar vários meses, até o seu organismo reencontrar o equilíbrio. Existem milhares de pormenores que podem retardar essa melhora, como uma anemia, por exemplo. Por isso é muito importante consultar o médico e fazer alguns exames, para verificar a necessidade de usar alguma medicação oral ou tópica, que ajude durante esse processo.


Não desanime. No geral, ter um filho é muito bom. E se nós ficássemos tão detonadas fisicamente, ninguem teria o segundo, o terceiro...
(estou fazendo muita força para acreditar nisso)

terça-feira, 26 de julho de 2011

Ingressos UFC

Gente, corre lá no ingresso.com porque eles vão vender mais mil ingressos para o UFC Brasil.
Mas tem que ser AGORA porque eles esgotam rápido!!!!Tipo, em minutos!!!!

Vai lá, corre!!!!

obs. Estamos bem, Gabriel e eu. E com saudades!

domingo, 24 de julho de 2011

Pra quem está podendo: STUDIO ULTRA MODERN DANCE


Gente, outro dia eu fui ao hortifruti e me deparei com esse studio de POLEDANCE!!!!
Ai, que vontade me deu de poder fazer umas aulinhas... pena que nesse momento da minha vida, seria completamente impossível a empreitada.
Mas daqui a uns meses... quem sabe ??? Hoje em dia, a concorrência está acirrada...
Achei a estrutura do local super caprichada! É uma boa maneira de se exercitar e ao mesmo tempo aprender coisas... apimentadas...(juntar o útil ao agradável...)
Este AQUI é o site da academia, caso necessitem de maiores informações.

sábado, 16 de julho de 2011



Que delícia poder escrever o post de ontem! Ele estava entalado na minha garganta (ou cérebro, sei lá) há semanas!!!!
Gente, eu ando muito chateada por não estar conseguindo postar com regularidade aqui no blog, tem tantas coisas que eu gostaria de dividir com vocês...
Mas, pessoal, ser mãe de recem-nascido é PUNK!!!!!

Eu nunca fiquei tão exausta em toda a minha vida. Nem no vestibular! Eu só consigo escrever aqui quando minha mãe está com ele, porque fora isso, mesmo quando o Gabriel dorme, fica impossível. Eu uso esses momentos de sono dele, ou pra dormir também ou para esterilizar mamadeiras, separar as roupinhas sujas dele, arrumar o trocador, lavar a banheirinha, armazenar leite do peito...

É uma rotina chata pra caramba!
Se não fosse esse amor imenso e incondicional que sentimos pelos filhos, duvido que alguem se animaria a ter o segundo bebê. Mas quando eles nos dão aquele sorriso que é só gengiva, esquecemos todo o cansaço e nos derretemos!

Mas, sério, eu não imaginava que fosse assim. Eu estou um arremedo de mulher, de tão feia e desleixada. Fazer as unhas é uma missão impossível. Passar fio dental, só em dias anormalmente tranquilos. E o Gabriel é um bebê bonzinho, daqueles que só choram com fome ou cólica.

E a prisão domiciliar forçada? Porque não é legal sair badalando por aí com um neném de cinco semanas de vida, concordam?
Algumas leitoras me avisaram que seria assim, mas não acreditei que seria algo desse nível!
Escrevo tudo isso para que saibam que vocês não foram esquecidos, mas meu blog e os e-mails vão sofrer uma lentidão nas próximas semanas. Não deixem de dar uma passadinha aqui de vezem quando!

Juro que sempre que for humanamente viável, eu passarei aqui para postar sobre alguma coisa....

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Irritando Luciana: "Tentar Engravidar"


Este post foi feito em homenagem a todas as minhas leitoras que AINDA VÃO CONSEGUIR engravidar.

Muita gente conheceu o meu drama. Eu fui uma daquelas pessoas que demorou para engravidar. Revendo meus dias de tristeza, cheguei a conclusão de que muitas mulheres passaram por situações infinitamente piores do que a minha. Tem pessoas que levam cinco, dez anos para engravidar. Deus foi bom comigo, pois eu só levei dois anos. E juro, não estou falando isso com cinismo ou ironia.

Por outro lado, se considerarmos que antes de começarem as tentativas, eu passei uns dois anos juntando grana para comprar o enxoval, pode se pensar que fiquei quatro anos no total, entre criar meios para a criança vir ao mundo com um mínimo de dignidade, e a concepção de fato da mesma.

Ou seja, demorou pra caramba!

Na viagem de Las Vegas, em dezembro de 2007, começaram as tentativas. E no início, tudo são flores. Ainda não despedaçaram as suas esperanças. A vontade de fazer a criança ainda não sofreu o baque de meses de namoros programados. Não há tesão que resista a isso. Você vibra com cada notícia de amiga ou parenta que engravida, ao invés de se remoer de ciumes e inveja.
E mesmo que o bebê não venha assim logo de cara, ainda não é motivo de desespero. Mas não se engane. Um dia o desespero chega.

Em maio de 2008, a surpresa: engravidei. A gestação durou duas semanas, pois perdi o bebê logo no primeiro mês. Aliás, eu só fui descobrir que estava grávida, justamente quando perdi o bebê. Acho que foi melhor assim, o sofrimento foi menor. Porem isso tudo aconteceu num fim de semana de feriado prolongado. Eu estava totalmente e completamente sozinha no mundo. Mãe, pai, marido, irmão e avós, todos estavam viajando. Menos eu. E a coisa aconteceu num solitário sabado à noite. Isso foi o pior de tudo.

Fiquei meio traumatizada, perdi muito sangue. Muuuuuito sangue mesmo. Achei que ia morrer de choque hipovolêmico. Pedi a Deus que eu não morresse naquela noite, em que precisei dormir na casa da Giulia (minha afilhada), agarrada ao DOBRINHA (a pelúcia que ela colocou na cama para dormir comigo para eu não ficar triste).

Bom, como vocês podem constatar, não morri. E, desde então, nada de engravidar. Fui a médicos, tirei um pólipo do útero, tomei AGONIADA (uma espécie de água que supostamente ajuda a engravidar, mas NÃO me ajudou), fiz vários exames de controle de ovulação, tomei clomid (um remédio que estimula a ovulação), e os meses continuaram a passar.

E todo-mundo-que-eu-conheço continuou a engravidar. E dali a pouco, as notícias dessas barrigas já não me deixavam tão contente (fui virando uma bruxa). E os namoros programados foram perdendo a graça. E aquela fé inicial foi diminuindo, diminuindo...

Da pressão social não vou nem comentar! As pessoas são muito indiscretas. E falam umas coisas que são verdade, mas que é duro de escutar. Exemplos:

1) O bebê vai vir na hora em que Deus mandar.

2) Quando você relaxar, o bebê chega.
(essa era uma das pérolas que mais me irritavam)

3) Porque você não compra um cachorro?
(claro, até porque ter um filho é igualzinho a ter um canino)

4) Já considerou adoção? Tem tanta criança precisando de um lar e vocês aí tentando trazer mais um para o mundo. Como você pode ser tão egoísta?
(detalhe: a pessoa que me disse isso nunca adotou ninguém)

5) Já tentou ------------- (substitua os tracinhos por tudo o que puder imaginar, como garrafadas, benzedeiras, remédios miraculosos, posições amorosas estilo cirque du soleil, conselhos pra lá de íntimos, etc, etc, etc)

Enfim, depois de um ano tentando, as coisas tendem a ficar mais tensas.
Pessoas bem intencionadas resolvem fazer REUNIÕES DE ORAÇÃO na igreja, pedindo que Deus interceda realizando um milagre. É muito gentil isso, juro, mas quando as pessoas pedem um milagre para você, isso só pode significar uma coisa: você está em maus lençóis, para dizer o mínimo.
(e quando você finalmente engravida, pega mal não convidar a igreja toda para o chá de bebê)

A mulher que está tentando engravidar, me perdoem a franqueza, mas isso aconteceu comigo e não é nada nobre nem bonito, mas depois de um tempo, nós começamos a nos tornar seres invejosos. Todas as notícias de amigas e parentas que engravidam começam a incomodar. E nós nos sentimos péssimas com isso, um ser humano desprezível, afinal esse sentimento é muito baixo astral. Mas ele fica lá escondidinho no fundo do seu coração. E muitas pessoas não admitem que sentem isso, nem sob tortura.
Mas eu não sou de dourar a pílula, nunca me mostrei aqui diferente da pessoa que eu sou. E estou longe de ser perfeita.

O tempo continua a passar e você... nada. Um dia eu desisti. Assumi que iria me tornar uma daquelas mulheres amargas e sem filhos, prometi a mim mesma que nunca mais pisaria num chá de bebê. Aí minha avó faleceu e eu fiquei mais triste ainda. Eu chorava dirigindo, fazendo caminhadas (já ia até de óculos escuros para disfarçar), uma vez abri o berreiro no banheiro de um shopping depois de ver uma mãe embalando o seu bebê no colo. Cheguei no fundo do poço emocionalmente dizendo.

E bem nessa hora... engravidei.
Quando eu menos esperava, um mês após o falecimento da minha avó.
Isso foi mais do que um presente na minha vida, foi um resgate. Não tem definição melhor.
Gabriel resgatou minha alegria de viver, minha fé em Deus, sem contar que me devolveu o tipo de ser humano que eu era, livre de sentimentos pouco recomendáveis, livre do rancor.
Ele foi um presente de aniversário com um significado todo especial, porque garanto a vocês, quando eu me descobri grávida, eu nasci de novo, e voltei a ser a princesa que eu era.

Eu queria muito que esse post tocasse o seu coração, caso você esteja passando pela mesma situação que eu passei.
Deus é como Rexona, não nos abandona.
O SEU DIA VAI CHEGAR, acredite em mim. A cegonha vai trazer o seu filho, independente da rota de chegada, se vai vir pela barriga ou pelo coração.
E enquanto o seu anjo não chega, siga esse conselho:
DURMA TUDO O QUE PUDER!!!!!!

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???